5 vantagens de se escrever com um CLARO modelo próprio

Saiba definir corretamente seu modelo de como escrever melhor para conseguir repassar seu conteúdo com uma qualidade altíssima. E o melhor: de forma automática...

50% do que você fala está relacionado com as palavras e com sua forma de escrever. Os outros 50% são relacionados à sua energia única. Essa última metade diz respeito ao tom com o qual você passa sua mensagem.

Isso é como música: muitas vezes não é sobre a letra, mas sim sobre a melodia.

Definir um modelo próprio e escrever bem, a partir daí, portanto, é fazer pura arte. E acredite: é possível criar MODELOS de arte.

Neste artigo, quero te mostrar as vantagens da criação de um modelo próprio e quero que você entenda justamente como criar o SEU modo de automatizar a própria escrita.

Vamos nessa 😉

1. Em um modelo próprio, você faz os robôs trabalharem por você

É, eu sei, eu sei: na época de Jane Austen ou de Shakespeare não havia essa moleza de robôs, computadores, um milhão de ferramentas disponíveis, bla bla bla.

Beleza, mas, apesar de esses grandes escritores britânicos terem escrito obras que ficaram para a história, eles eram limitados a isso.

Imagine só se eles tivessem todo nosso poder em mão, naquela época!

Shakespeare sobre escrever com robôs: ser ou não ser? Eis a questão! :)
Shakespeare sobre escrever com robôs: ser ou não ser? Eis a questão! 🙂

 

A parte boa é que os escritores de ouuuutras épocas eram muito mais focados. Ser focado e produtivo, entretanto, é algo que nós podemos aprender – então, ponto para todos nós, também.

Fato é que a produção em quantidade e qualidade não era tão possível quanto é hoje. Se eu ou você podemos usar a tecnologia para trabalhar (em nosso lugar) no que é menos importante, por que nos daríamos o trabalho de fazer essas coisas manualmente?

Sentimentos da moda antiga, muitas vezes, servem para resultados à moda antiga. Reflita. :}

Levando tuuudo isso em consideração, para eu me aprofundar em tópicos específicos sobre determinados assuntos eu uso alguns sites em inglês poderosíssimos. Esses sites são voltados para a aprendizagem coletiva ou para guardar nossas mais profundas memórias.

A seguir, vou citar algumas das ferramentas e dos robôs que me ajudam a escrever bem.

 

Quora e Medium: ferramentas (para escrever com qualidade) SUPER usadas para insights

Tanto no Quora quanto no Medium eu posso pesquisar assuntos específicos para ter noção em ciências, empreendedorismo, finanças, enfim… tudo de que gosto.

Quando bate uma vibe “meu gezusin, o que eu falo agora para complementar este artigo?” eu seleciono, aleatoriamente, um artigo do Medium ou uma resposta do Quora sobre os assuntos que gosto, e pego bizus super especiais.

O legal é que isso evita que você copie de sites parecidos com os seus. Se você escreve colunas, por exemplo, é muito mais bacana procurar um assunto aleatório e mesclar com seu tema (e CRIAR a partir disso) do que sair procurando colunas dos outros, por aí.

 

Namemesh: ferramenta (para escrever mais rápido) que euzinha descobri como sendo uma mina de ouro

Saindo um pouco das ferramentas óbvias demais, eu gosto de entrar no http://www.namemesh.com para misturar conceitos e ter mais ideias para escrever mais rápido.

O Namemesh, na realidade, é uma ferramenta de criação de nomes para sites. Quem quer criar um nome de site legal pode sair colocando palavras-chave relacionadas à própria área lá no Namemesh. Daí, você poderia, por exemplo, pegar ideias legais de nomes disponíveis com domínio “.com”. Você poderia, também, ter ideias de nomes em português.

No meu caso, eu passei a utilizar essa ferramenta para pesquisar, também, ideias para meus conteúdos.

Quer um exemplo claro?

Digamos que você queira escrever sobre nutrição esportiva. Você pode colocar a palavra “nutrition”, lá no Namemesh, combinada com “health” e “food”, e sair com ideias mescladas para seu artigo.

Eu fiz um teste com essas três palavras e veja só alguns dos nomes legais que surgiram:

Se eu pegar o “healthnutrition.coffee”, por exemplo, posso pensar em escrever um artigo sobre dietas da moda e, em um dos tópicos, falar sobre café.

Se eu continuar olhando as palavras-chave que surgiram, posso pensar em “café orgânico versus Café do Sítio”, e então fazer um artigo todo sobre isso. Se você prestar atenção, a palavra ‘organic’ surgiu ali no exemplo, e foi daí que tirei essa ideia.

Na mesma pesquisa, o Namemesh me sugeriu ‘newhalthnutritionfood.com’. Nesse caso, eu poderia, também, continuar no artigo sobre “dietas da moda”. Eu poderia pegar um tópico dentro do artigo só para falar sobre “novas” dietas que ficaram internacionalmente famosas.

Viu só? Peguei um tópico sobre o qual não entendo muito e usei uma ferramenta poderosa para me ajudar. Imagine aplicar isso em um tópico sobre o qual você entende MUITO!

 

A clássica: Evernote sendo usado para ajudar minha memória esquisita

No Evernote, eu anoto tudo para usar futuramente em meus artigos. Faço isso para escrever sobre conteúdos que eu já pesquisei, anotei e achei interessantes.

Para criar este tópico, por exemplo, pesquisei em meu Evernote a hashtag “ferramentas”.

2. Clareza do meu modelo

O meu modelo de escrita é um sistema complexo. Sabe qual é a diferença de um sistema simples para um sistema complexo?

No primeiro caso, você gera lixo em seu site e resultados pequenos; no segundo caso, você gera valor em seu modo de escrever e, também, resultados enormes.

Eu poderia, simplesmente, não ter um passo a passo pessoal de como escrever bem. Isso me impediria, entretanto, de saber como escrever mais rápido ou como escrever com qualidade.

 

Sistema Simples: o frangote

O Sistema Simples, de forma resumida, funciona assim, quando o assunto é escrever:

Maneira errada de tentar escrever artigos

Veja que depois que a pessoa perde tráfego orgânico ela continua insistindo em fazer conteúdo em quantidade. PÉÉÉNNN!

Nesse tipo de sistema (escrita por chutômetro), você demora mais tempo criando o conteúdo, e ele fica sem qualidade. Conteúdo sem qualidade é limbo, na Internet, ou em uma sociedade cujas pessoas têm acesso a tanta informação que não aguenta mais.

 

Sistema Complexo: mais simples que o simples ahhaahah!

O meu modelo de escrever bem é baseado no sistema complexo que eu mesma criei (dica: crie o seu também!). É complexo, mas é automático, então torna tudo mais simples.

A lógica é mais ou menos a mesma da Guerra dos 100 Anos, que, na verdade, não foi realmente de 100 anos: o Sistema Complexo é muito mais simples do que o Sistema Simples.

Isso porque escrever sem método não te faz escrever bem, não te faz escrever mais rápido e muito menos te faz escrever com qualidade. Escrever sem método simplesmente te faz escrever por escrever.

Escrever por obrigação não é nada bom, porque o primeiro pacto de qualquer relação com a escrita é ter um objetivo claro.

O Sistema Complexo, de forma resumida, funciona assim, quando o assunto é escrever:

Veja que o Sistema Complexo te permite escrever mais rápido (porque você já sabe O QUE tem que fazer) e também te permite escrever com mais qualidade (porque você cria um método claro de conteúdo).

 

3. Menos frequência pessoal

Com o Sistema Complexo, você não precisará TÃO CEDO fazer novos conteúdos.

Calma. É claro que frequência de conteúdo também conta para tráfego orgânico em seu site ou nos sites de pessoas que te contratam. Não há dúvidas.

Acontece que, quando seu texto é maravilhoso, caso você queira pular essa fase, você pode deixar uma frequência de artigos menor em seu trabalho. Uma vez por semana e, até, talvez, uma vez por MÊS será uma frequência ÓTIMA.

Sério, Carol?

Sério.

No Esquemaria, meu antigo blog sobre aprendizagem, eu tive alguns meses com 100 mil visitas por mês mesmo tendo uma frequência baixíssima de artigos.

Veja só…

Estas são as visitas de um ano inteiro, no Esquemaria:

Sabe quantos artigos eu escrevi nesse período?

NO-VE. Nove artigos. Isso dá uma média de 0,75 artigos por mês! Não chega nem a UM! E mesmo assim tive uma audiência de centenas de milhares de usuários únicos.

#Beijomeliga.

O nome técnico para que você consiga atingir esse SONHO de consumo é Conteúdo Evergreen: antigos ou novos usuários podem entrar QUALQUER dia em seu site, mesmo sem uma frequência absurda e desumana, e ainda assim amá-lo. O conteúdo vai ser tão bom e completo que seus artigos nunca ficarão velhos 😉

Sendo assim, eu prefiro escrever com menos frequência, mas com mais dedicação e qualidade. E funciona. Os resultados estão lá.

 

4. Meu modelo não é uma cópia

Como eu amo criatividade e diferenciação, eu passo para você minhas dicas de como escrever melhor o tempo inteiro (seja para criar roteiros, seja para montar a própria história). Só que eu SEMPRE indico que você NÃO copie um modelo completamente.

Sabe por quê? Porque você é tão especial, que não dá para competir.

Copiar por copiar o jeito de alguém escrever te transforma em “só mais um por aí”. Visualizar inúmeros modelos e, a partir dos melhores, criar o próprio modelo é se transformar em uma Apple ambulante.

O próprio Steve Jobs dizia que o mais importante é não vivermos a vida dos outros. Não é por acaso que a Apple cresceu com o slogan – e a missão – de Pensar Diferente.

Vantagens de ter um modelo próprio de escritas

Para que você crie o seu próprio modelo, pegue os exemplos legais, de pessoas, sites e livros que você mais gosta, e pense: como eu poderia escrever sobre isso, mas de uma maneira diferente, e ainda melhor?

 

5. Em seu modelo, coloque metas específicas para escrever – e CUMPRA

Todo texto que pego para escrever possui objetivos claros e metas específicas. Acredite: há grandes chances de você não ter entrado aqui por acaso. Muita gente chega até meus textos e comenta algo como “nossa, que legal, eu estava surfando nessa onda louquíssima da Internet e do nada, sem querer, entrei no Jornadas Incríveis e me apaixonei”.

Sem querer que nada.

Como eu disse: todo texto meu tem um objetivo e, se tem um objetivo, tem um público específico para ser ajudado.

Por isso, os meus artigos (ou textos para vídeos) também têm metas específicas. Escrever bem e ser encontrado na Internet, em meio a bilhões de páginas, é uma arte.

Minhas metas geralmente vêm em formato de números. Veja só:

Eu tenho duas notas sobre ferramentas, em meu Evernote. A primeira delas é a “ferramentas para empreender” e a segunda é a “ferramentas para escrever”.

Eu passei a fazer isso desde a vez em que notei que já tinha perguntado TRÊS vezes à minha amiga (super ocupada, aliás) qual ferramenta ela usava para fazer animações em vídeos.

Notei, não só, que eu estava detonando o tempo de minha amiga (e eu detesto quando fazem isso COMIGO, imagina!), como também eu estava perdendo indicações importantes de ferramentas vindas dos meus oooutros parceiros e amigos.

DICA QUENTE AQUI: desde então, cada ferramenta indicada que eu acho no mínimo interessante coloco lá em meu Evernote. Nesse caso, com a tag “ferramentas”, eu abri minha nota de “ferramentas para escrever”, tirei as que mais gosto e trouxe para este artigo 😉

Como planejar metas claras

Para esse artigo, por exemplo, coloquei um mínimo de 22 ideias de tópicos. Essa foi minha meta clara e específica.

Quando bati as 22, comecei a escrever. Durante a escrita, eu tive mais ideias, é claro, porque uma coisa leva à outra.

Essas 22 ideias iniciais passaram para 36, no decorrer do texto. Isso significava que eu iria escrever todas? Não! Eu iria escrever as mais bacanas.

Acabou que, no final das contas, 5 daquelas ideias se tornaram este artigo: mas, se eu dissesse que minha meta inicial eram “5 ideias”, provavelmente eu não chegaria à qualidade de conteúdo à qual cheguei.

Ou seja: em seu modelo, use metas altas de conteúdo (quantidade de palavras ou quantidade de headlines). Depois disso, faça uma seleção das melhores ideias para escrever sua jornada.

🙂

E aí? Você já começou a pensar em seu modelo?

Criar o seu próprio modelo realmente é criar sua própria arte. Assim como o Pablo Picasso tinha o modelo dele para os quadros, ou a Jane Austen tinha o modelo dela para os livros, você é capaz de montar o SEU modelo para a escrita.
Seu modelo para escrever mais rápido e escrever com qualidade pode:
  • usar ferramentas próprias;
  • usar um sistema complexo próprio;
  • ajudar a diminuir a frequência de conteúdo e melhorar a qualidade desse conteúdo;
  • ajudar a iluminar sua forma de escrever; e
  • ajudar no cumprimento de metas claras e específicas.
E isso sem copiar a arte dos outros.
E aí? Qual é sua dúvida sobre MODELOS de escrita? Coloque nos comentários para eu saber.

Deixe um comentário