SEO: o que deve existir DENTRO e FORA do seu site para o Google se apaixonar

Você vai saber de verdade o que fazer para que o Google não te ignore mais e te coloque em 1º lugar (ou seja: entenda AGORA o melhor do SEO e seja feliz)!

Técnicas de SEO OnPage e OffPage sem trabalheira: descobrindo o iceberg

Há muuuito, muito tempo, em uma galáxia não tão distante, descobri os importantíssimos termos SEO em inglês OnPage e OffPage. Calma, sei que parecem termos difíceis, mas, na real, são moleza. Esses são termos usados para que as pessoas saibam quais são as técnicas que podemos usar DENTRO ou FORA de nossos sites para que o Google destaque nossos conteúdos. E, claro, de preferência na primeira página da busca.

Offpage, OnPage: Dentro e Fora do Site

Técnicas de SEO OnPage e OffPage são como um iceberg. Grande parte dos segredos estão escondidos debaixo da água. A parte do iceberg do SEO que fica à vista de todos é só uma pequena porcentagem de um mundo gigaaaante que está abaixo do nível do mar.

Em uma era em que SEO é cada vez mais importante, não saber o que fazer com o OnPage e o OffPage do seu blog, site ou e-commerce pode ser um caminho para um futuro não tão promissor. Desculpe pela notícia, desculpe pela sinceridade…

Claro que isso não significa necessariamente desastre total. Você poderia viver sem isso, né?! Só que, dependendo do tropeço, você pode parar lá nas últimas páginas dos buscadores. Ou pode parar na segunda página, o que é praticamente a mesma coisa de se estar em último. Mais uma vez: desculpe pela notícia, desculpe pela sinceridade…

Até mesmo grandes empresas ainda cometem alguns desses deslizes, coitadas, mas elas não sabem o que eu sei.

E a parte boa é que hoje eu estou aqui para você. Agora é o momento em que você vai descobrir os segredos escondidos nas profundezas do oceano das técnicas de SEO, e claro, vai descobrir os que estão sobre a água, também.

E se você ainda não tiver um site? Bem. Nesse caso, o futuro presente te aguarda. Aprenda desde agora o que você deve fazer para começar da maneira correta 🙂

Faz sentido?! Então simbora.

 

Por que é importante entender OnPage e OffPage no SEO

SEO significa Search Engine Optimization o que, na prática, é otimização para que uma página ou site seja encontrada pelos buscadores, como Google (94%), Bing (3%), entre outros.

Teoricameeente, o tema é complexo, como leva a acreditar o infográfico da Search Engine Land. Dica: não salve esse infográfico, não! O que tenho para você é ainda mais simples do que isso!:

A Tabela Periódica do SEO

E você está se perguntando… se parece tão complicado, por que diabos preciso saber disso?

Se você se propõe a empreender qualquer atividade virtual através de um site, você DEVE saber sobre isso. Aqui pode estar uma parte importante do seu sucesso e caso você nem pense em ter um site ou um portifólio é interessante você saber como as coisas funcionam, caso você pretenda lidar com textos na Internet.

Durante minhas aulas no MBA de Marketing Digital, discutimos os fatores de importância das técnicas de SEO o tempo inteiro. Para quem está em contato no dia a dia com esses dados sabe que o Dr. Google é especialista em atualizações secretas.

Por um lado, isso é excelente, já que o objetivo do Google é sempre melhorar a experiência do usuário. Por outro lado, isso pode fazer alguns especialistas em SEO perderem os cabelos. O que é importante hoje (em termos extremamente detalhados) pode não ser tãooo importante amanhã.

Por isso, aqui você terá contato com as técnicas que selecionei pessoalmente – técnicas essas que nunca perderão o seu valor.

Vamos começar uma imersão pelo mundo das estratégias de SEO OnPage e SEO OffPage. Se você não conhece bem do tema ou das nomenclaturas, eu prometo que explicarei bem. Qualquer coisa, coloque sua dúvida nos comentários.

 

OnPage – Dentro da página

Esta é sem dúvida a parte do iceberg que está fora da água. Não que não seja imponente ou importante, muito pelo contrário. A sua beleza está praticamente escancarada a todos. É como a relação entre um artista e sua banda: um não seria um, se não fosse o outro. Haha.

A técnica SEO OnPage trata de tudo aquilo que está dentro do seu site. É sobre como você organiza seu conteúdo, como nomeia suas imagens, como define suas URL’s entre outros tantos itens que fazem parte dessa técnica.

 

O que é prioridade quando falamos de OnPage

Importante mesmo é que seu conteúdo esteja otimizado para que os buscadores te encontrem com naturalidade.

A época em que escrever a palavra-chave milhares de vezes no texto valia alguma coisa já foi embora há muito tempo. E, vamos combinar: ainda bem que isso acabou! Imagine que alguns textos sobre OnPage vinham recheados de conteúdo OnPage, porque OnPage era importante estar na descrição do texto sobre OnPage. SACOOO!

E eu já cansei de ler textos assim. Horrível, não é?

Então, escreva com naturalidade.

Sempre digo que a primeira coisa a fazer quando se prepara um site, um conteúdo ou algo que você dividirá com o público é pensar como você se sentiria ao ler. Certamente essa visão te ajudará muito. Depois, pense no perfil das pessoas para quem você está escrevendo.

Com essas duas dicas você já matou boa parte do conteúdo. Cada dia mais o Google vem buscando melhoria nas suas avaliações para ranqueamento – e a prioridade número UM é a experiência do usuário.

Se você gasta mais tempo lendo um texto ou revirando um site é porque ele tem qualidade ou é interessante para você. E é justamente isso que diz para o Google que o site cria conteúdo de qualidade.

 

Passo a Passo para turbinar seu site

As coisas mudam no Google e podem mudar as prioridades do que é importante. Porém, se você fizer seu conteúdo pensando em trazer a melhor experiência para o seu leitor, pode ter certeza de que você nunca, nunquinha, será punido.

Então vamos iniciar a nossa jornada.

 

Meta tags

Meta tags são as linhas dos códigos HTML que relacionam o conteúdo para serem encontrados pelos buscadores. É importante que as palavras chaves estejam nas meta tags para que os usuários tenham mais facilidade em encontrar as páginas.

Tá, e como fazer isso?

Depende de como você faz sua página. Se é com o código direto, isso vai no HTML. Você pode encontrar as meta tags clicando com o botão direito sobre o conteúdo e depois em “Exibir código fonte da página”. Na programação você verá códigos deste tipo:

Se você utiliza o WordPress, isso é bem mais simples de ser feito com o plugin Yoast SEO. Aqui no JOI, nós falamos sobre esse plugin na página de ferramentas que usamos!

As meta tags fazem seus textos aparecerem assim no Google:

Meta tags: o que elas fazem?

As principais meta tags para SEO são Title, Description, Keyword e Robots. Vamos conhecer cada uma, agora.

 

Título <title>

Chamado popularmente pelos SEOzeiros como Title Tag, o título é o nome da sua página que aparece nos buscadores. É a linha clicável que aparece em azul. Ela deve ser uma descrição precisa sobre o que se refere seu conteúdo.

O título é o principal motivo de as pessoas acharem sua página na web – por isso é importante que sua palavra-chave esteja nele. Quanto antes ela aparecer melhor.

Parece simples, não?

E é! Porém, para que seu título apareça inteirinho, sem cortes e lindo no Google existem algumas regrinhas que devem ser observadas.

 

1. O número de caracteres não deve ultrapassar 600 pixels

Houve uma mudança e o Google alterou as dimensões das SERPs (Search Engine Results Pages), que são as páginas nas quais aparecem os resultados das nossas buscas no Google.

Isso deu mais alguns caracteres aos títulos.

Veja a comparação de como funciona e como funcionava:

Frustrante, eu sei! Pixels?? É isso mesmo. Por causa disso não há uma unanimidade quando se fala no número de caracteres do título. A letra “i” mede menos do que a letra “m”.

A recomendação da MOZ, a maior empresa do mundo especializada em SEO, é que os títulos tenham entre 50 e 60 caracteres.

Mas você quer uma dica? Isso não é regra inquebrável. Você pode usar títulos longos estrategicamente para criar um clima de suspense e trazer curiosidade ao leitor. Só tenha em mente que a palavra-chave deve estar entre os primeiros caracteres do título.

 

2. Cuidado com o exagero e repetições da palavra chave

Lembra que falamos da naturalidade? Aqui vale muito.

Não faça títulos do tipo: “Dicas OnPage, Técnicas OnPage, Passo a passo OnPage”.

Você corre o risco de ter a página penalizada, nesse caso. Use a palavra-chave uma só vez no título e seja feliz 🙂

 

3. Tenha títulos únicos para cada página

Páginas com nome generalizado, do tipo “Novos Produtos”, podem ser consideradas páginas duplicadas. Isso dificulta que sua página seja encontrada. No momento de criar o título de seus textos e páginas, especifique BEM. Tenha muito cuidado para não fazer títulos e temas muito parecidos. Se você tem um produto, escreva o nome único do produto ou o que ele pode oferecer.

Meta Description

Meta description é um breve resumo sobre a sua página. O texto é mostrado nos buscadores e vem logo abaixo do site.

Meta description é o texto que fica abaixo do endereço do site, no Google

Basicamente serve para descrever seu conteúdo e fazer o papel de propaganda, atraindo mais usuários através da busca orgânica.

Em média devem ser usados 153 caracteres.

Você pode testar a meta description e mudar, caso seja necessário, para chamar mais atenção do seu público.

 

Meta Keywords

Este é um tema que claramente vem perdendo a força. Muitos dos testes feitos pelos maiores SEOzeiros do mundo mostram que o Google e o Bing deixaram de usar a meta keywords (meta tags para palavras-chave) em seus mecanismos de busca.

Aparentemente, o único buscador que ainda usa as meta keywords é o Yahoo.

Por isso, o que você deve entender é: para você não ter muito trabalho, foque no seu conteúdo e não nas meta keywords.

 

Meta Robots

A tag meta robots orienta os robôs de busca sobre páginas que devem ser indexadas ou não. Isso significa o seguinte: se você quer que o Google coloque seu site nas buscas, você deve indexar; se não quer que o Google coloque seu site nas buscas, você não deve indexar.

Imagine, por exemplo, que você possui páginas de teste, páginas de administração, em determinadas partes de seu site… esse tipo de página não deve ser mostrado nos buscadores, concorda? Nesse caso, você não faz a indexação.

Apesar de podermos usar as meta robots nas páginas do site, o Google orienta que as indexações sejam feitas também pelo arquivo robots.txt.

Veja alguns dos principais parâmetros que podem ser usados:

INDEX / NOINDEX

Indica se permite ou não a indexação da página pelos buscadores.

FOLLOW / NOFOLLOW

Você pode ou não permitir que os buscadores sigam a web através dos links que estejam no corpo da página.

ARCHIVE / NOARCHIVE

Define se queremos ou não que os buscadores arquivem o conteúdo do website em seu cachê interno.

SNIPPET / NOSNIPPET

Serve para que o os buscadores não mostrem a descrição de um site, apenas seu título.

Mais uma vez: para quem usa o WordPress como ferramenta de criação de blogs, não há necessidade de conhecimentos em programação para configurar as páginas com ou sem indexação. O plugin gratuito da Yoast também faz isso:

Indexação SEO – Yoast

 

URL amigável

URL é o endereço do seu artigo. Por exemplo, nesse artigo, a URL é: jornadasincriveis.com.br/seo-google-apaixonado!

Para criar uma URL amigável tenha em mente que ela precisa ser óbvia. Imagine passar os olhos pela URL e ver um monte de números e códigos… provavelmente você correrá dela, ou nem dará atenção.

Para a criação da URL ficar fácil, siga os seguintes passos:

  • Use URLs curtas. Elas tendem a ser lembradas com mais facilidade.
  • Separe as palavras com hífen. O hífen é considerado pelo Google como um espaço em branco. Não use underscore (aquele traço rasteiro, assim: _). O underscore não é considerado como espaço pelo Google, ou seja, o buscador não conseguiria decifrar o que está escrito em sua URL.
  • Coloque sua palavra chave na URL e permita que sua página seja encontrada mais rapidamente.
  • Evite números, com exceção dos casos em que números fazem parte do conteúdo.
  • Se for mudar o nome da URL depois de publicada, faça o redirecionamento 301.

Imagens

Verifique se suas imagens têm um nome de arquivo que corresponda ao contexto da sua página. Verifique se você colocou um texto alternativo (alt text) em todas elas.

Os textos alternativos auxiliam os buscadores a entenderem do que se trata sua imagem caso ela não seja carregada.

Aqui está um exemplo do que acontece quando alguma imagem não é carregada:

Este é um texto alternativo (alt text). Se a imagem não for carregada, é ele que aparecerá para seu usuário! Percebeu sua importância? :)

 

Headings (cabeçalhos)

Os headings são códigos que determinam títulos e subtítulos do seu conteúdo e podem ser de H1 a H6, sendo o H1 o título da página.

Podem ser usados múltiplos H2 e H3, mas apenas um H1.

Imagine a estrutura assim:

  • Título (H1)
    • Subtítulo (H2)
      • Tópico dentro do subtítulo (H3)
        • Subtópico dentro do tópico (H4)
          • Chamada dentro do subtópico (H5)
            • Subchamada dentro da chamada (H6)

Geralmente, os textos vão até o terceiro cabeçalho (H3). Isso não é uma regra geral. Esse texto que você está lendo, por exemplo, usa até a H5, porque existem muitos subtópicos e chamadas para que você aprenda as partes mais importantes do SEO.

Para você ser sempre feliz com seus headings, use as seguintes regras:

  1. Mantenha a hierarquia de importância com os headings. Os assuntos devem ser pensados em grupos que farão sentido para o usuário sem que ele se enrole com as muitas informações de um texto.
  2. Garanta que suas palavras-chave, ou variações delas, estejam entre o H1 e H3.

 

Linkagem Interna

Fazer a linkagem interna, ou backlink interno, faz com que os usuários tenham melhor navegação pelo seu site e passem mais tempo nele. Sabe quando eu cito um artigo ou uma página dentro do JOI? Essa sou eu criando backlinks! Muahuahua!

Elphaba diz: "agora você conhece todos os meus truques"!

O fato de as pessoas passarem mais tempo nas páginas não é o único motivo para usar backlinks.

Backlinks são links posicionados no texto para guiar o usuário por sua página.

Quando você usa links para seus conteúdos, você facilita o reconhecimento de novas páginas pelos buscadores, além de poder usar a estratégia de distribuir a força que determinas páginas têm para outras.

Imagine que você recebeu um backlink externo poderoso, de um site com autoridade. A página para onde esse backlink está sendo apontada certamente terá mais força do que as demais que não receberam nenhum backlink.

E aqui é que vem o pulo do gato, mano véio: quando você direciona novos backlinks internos dessa página para as outras, você distribui a força dessa página para as demais.

Uma forma de ter backlinks é quando uma criatura copia todo o seu texto e posta no próprio site. Isso é muito ruim para o site da pessoa (por isso você NUNCA deve fazer isso), mas é bom para o seu. Eu digo isso somente para você ficar relaxado se alguém fizer isso, mas, por favor, não saia pedindo por aí que as pessoas copiem e colem seu conteúdo nas páginas delas… o Google não é abestado. Ele percebe essas coisas.

 

Conteúdo Otimizado

Otimizar um conteúdo para suas palavras-chave significa colocá-las em toda a extensão do seu texto, do começo ao fim.

Aqui vale de novo a dica da naturalidade.

De acordo com a SerpIQ os artigos ou textos com as melhores classificações na primeira página de resultados do Google têm em média 2.450 palavras.

Pense sempre em distribuir as palavras chave de maneira que o usuário não se sinta cansado e o Google não ache que você está exagerando na otimização do seu conteúdo para aquela palavra.

Não há número certo de vezes que você deve repetir, o certo é usar o bom senso.

Leia e releia seu texto e verifique se você citou suas palavras em todo o texto. Não precisam ser exatamente as mesmas palavras. Você pode usar variações e sinônimos.

Lembre-se sempre que a experiência do usuário é o que mais conta!

Sitemap.xlm

A configuração do arquivo sitemap.xlm serve para que sua chance de ser encontrado aumente. Essa é a maneira de você mostrar ao Google todas as páginas existentes no seu site.

Além disso, isso faz com que o tempo de indexação do site fique menor (ou seja, o Google não precisa ter trabalho contigo).

No JOI, a configuração do Criar e enviar um arquivo sitemap (mapa do site) também é feita com o plugin da Yoast, só que, para isso, usamos a parte paga. Entretanto, existe outro plugin gratuito do WordPress para isso: o Google XML Sitemaps.

Depois de configurado seu sitemap manualmente (ou com um plugin, no caso de quem usa WordPress), você terá que avisar ao Google sobre o endereço. Você avisa isso pela ferramenta do Google chamada Search Console. Dentro do seu Search Console, selecione o seu site e, no menu lateral esquerdo, clique em Sitemaps. Seu painel ficará assim:

Google Search Console

 

Velocidade de carregamento da página

Nem eu, nem você – e garanto que ninguém – gosta de abrir um site e ficar esperando que alguma coisa apareça.

A velocidade de carregamento das páginas é um item importante para o ranqueamento de um site. Depois do conteúdo, a velocidade de abertura da página é a técnica que consideramos mais importante, aqui no JOI. No JOI, usamos o plugin do WordPress chamado WP Rocket para melhorar a velocidade do site. Esse é um plugin pago, mas há também uma ótima opção que começa com planos gratuitos: o W3 Total Cache.

De todas as técnicas vistas na página, essa é a mais difícil de ser executada. Se você tem alguma dificuldade com tecnologia, é melhor contratar alguém para melhorar a velocidade do seu site por você.

Fato é que se sua página demora para abrir, o seu usuário vai embora antes de visualizar seu conteúdo e, consequentemente, sua Bounce Rate (Taxa de Rejeição, no Google) aumenta. E isso é muito, muito ruim. O Google vai te olhar com desdém, se isso acontecer.

O ideal é chegar a uma velocidade abaixo de 8 segundos. Os seus usuários não vão ficar esperando uma página de 24 segundos ser carregada! Digo isso porque, antes de começarmos o trabalho de otimização, o Jornadas Incríveis estava com uma velocidade horrível. Veja a comparação do antes e depois:

Velocidade anterior: 19,4seg... velocidade atual: 6,5seg

Ferramentas para saber sobre a velocidade do seu site

Use as ferramentas PageSpeed Insights, WebPageTest, Pingdom, GTMetrix, para testar sua velocidade.

A análise do GTMetrix é a minha preferida, mas usar a combinação das ferramentas pode ser uma boa ideia, se você tiver tempo.

Costumo começar pelo PageSpeed Insights, que pertence ao Google, e depois refaço a análise através das outras ferramentas. Entretanto, o PageSpeed Insights é bom só para testar a velocidade do seu serviço de hospedagem. O melhor site para testar o tempo em que a página fica completamente carregada é o GTMetrix mesmo.

Outro dado importante no que diz respeito à velocidade é o Time to First Byte TTFB, que mede a rapidez do seu servidor. Seguindo o tutorial sinistro do Tom Dupuis, nós do JOI mudamos o serviço de hospedagem para a SiteGround, porque nosso TTFB estava em 7101ms, quando deveria estar, no mínimo, abaixo de 500ms. Depois de sairmos do antigo serviço de hospedagem, nosso TTFB foi para 400ms, e isso contando que usamos SSL para garantir a segurança dos nossos usuários (o que deixa a resposta do servidor um pouco mais lenta).

Velocidade anterior: 7101ms... velocidade atual: 400ms

 

Site Responsivo

A maior parte das pessoas acessam cada vez mais conteúdos pelos dispositivos móveis (principalmente celulares). Já que a prioridade do Google vem sendo a experiência do usuário, é prioridade adequar seu conteúdo para que ele seja prazeroso de ler também pelo celular, tablets ou qualquer outro dispositivo móvel, certo?

Isto é ser responsivo: adequar seu site para que ele seja lido em qualquer dispositivo.

A boa notícia é que a grande maioria dos modelos de páginas para WordPress, hoje, são responsivos. De toda forma, antes de escolher qualquer tema para seu blog, veja esse aspecto: veja se ele é responsivo!

 

OffPage – Fora da Página

Como vimos no início do artigo, as técnicas de SEO Offpage são as atividades feitas fora do site com o objetivo de aumentar o ranking para os mecanismos de busca. Agora é o momento em que você vai entender como trazer mais tráfego para o seu site utilizando conteúdo de qualidade.

 

O que é prioridade quando falamos de OffPage

Quando se fala em OffPage, geralmente as pessoas lembram de link building. Apesar da importância do link building, que á a contrução de links externos que apontem para o seu site, o SEO OffPage vai além disso.

OffPage é a maneira de otimizar seu site através de conteúdo de qualidade, relacionamento e links, sempre pensando em melhorar a experiência do usuário.

É sobre construir, em páginas de terceiros, uma reputação que seja atrativa para o seu público.

Ronell Smith, da MOZ Community, deu um excelente exemplo:

Não cuidar do off-site-SEO é como ter uma linda casa em um condomínio fechado, mas nenhum dos seus amigos quer te visitar porque eles ouviram falar que dentro da casa tem cheiro de vômito, e ninguém pode confirmar ou negar isso.

A prioridade deve ser conseguir sinais positivos e interações com a sua marca através de links de autoridade, comentários, menções sobre seu site ou sua marca e relacionamentos fora do site.

 

Tudo que está escondido debaixo d’água

Para criar credibilidade e criar uma audiência que fale sobre sua marca ou seu site, nada melhor do que dar aquele mergulho profundo e descobrir o que tem debaixo dessas águas.

Para a maioria das pessoas que conhecem um pouquinho de técnicas SEO a técnica de Link Building pode até assustar. Muita gente me pergunta por onde começar, quem procurar e o que fazer.

Então vamos lá!

Primeiro de tudo é importante você sabe PARA QUE SERVE o link building.

É através dessa técnica, analisando todos os links que apontam para o seu site, que o Google calcula o PageRank (PR), que é a nota (de 1 a 10) que seu site recebe pelo Google. Mas não se assuste se você não conseguir ver o PageRank através das ferramentas do Google.

Link Building: outros sites apontam para o seu!
Link Building: outros sites apontam para o seu!

 

Desde abril de 2016, o Google anunciou que não deixaria mais disponível o PageRank dos sites.

Existem, no entanto, diversas outras ferramentas para medir o seu PageRank, que nada mais é do que a autoridade do seu site de acordo com os links que apontam para ele. Chamamos isso também de Page Authority (PA).

Para isso você pode usar o SEOmoz, Ahrefs ou Majestic que são as mais conhecidas e conceituadas ferramentas de SEO.

 

Link Building

Fazer link building é uma maneira certa de agregar autoridade ao seu site. Fato! Você só precisa ser ético, ter conteúdo de qualidade, priorizar relacionamentos e não só o link em si.

Pensando assim você não corre perigo.

Perigo??? Ãh?

Sim, você pode ser penalizado caso saia por aí fazendo coisas que ferem a conduta e as diretrizes do Google Webmaster. É sempre bom saber! Por falta de conhecimento você pode cair em uma armadilha.

Cuidados a tomar no momento de fazer link building

  • compre ou venda links que passem o PageRank;
  • não faça muitas trocas do tipo: “você me dá um link e eu te dou outro”… pense sempre na qualidade do conteúdo da página parceira;
  • não use ferramentas ou serviços automatizados que gerem links para o seu site! Muita gente faz isso pelos números, mas há dois problemas, aqui:
    • os números não significam qualidade (isso vai detonar sua taxa de rejeição, por exemplo);
    • o Google não é besta… ele sabe quando as pessoas fazem isso.
  • não engane os usuários. NUNCA. Isso é uma das leis de poder do livro do Robert Greene: muito depende da reputação – dê a própria vida para defendê-la;
  • crie conteúdo para os usuários e não para os mecanismos de busca;
  • desenvolva conteúdo exclusivo.

Estratégias de link building

Tendo entendido esses critérios, vamos aos passos para se ter uma estratégia de link building que ajudará seu site a ter melhor qualificação.

Co-Marketing (mais conhecido como PARCERIA)

Esse aqui tem um nome bem mais conhecido: parceria!

Encontre empresas do mesmo segmento e criem juntos conteúdos de qualidade que possam ser distribuídos para seus públicos.

Guest Post (artigo de convidado)

Poste em blogs de outras pessoas escrevendo como convidado. Para que você consiga escrever como guest, você precisa se relacionar com a pessoa ou a marca.

A dica é: esteja por dentro do conteúdo, interaja nos posts e nas redes sociais e quando essa relação amadurecer você pode se oferecer para ajudar em algum tema que seja sua especialidade.

Infográficos

Estão sempre em alta pela facilidade de viralização.

Como transformar um infográfico em backlink? Coloque o código “embed” no final da página. Caso alguém tenha interesse é só copiar e colar e seu backlink estará feito.

Assessoria de Imprensa

As assessorias de imprensa sempre têm contato com muitos dos grandes portais e blogs do mercado. Caso você já esteja mais para frente em sua jornada, contrate uma boa assessoria de imprensa e envie links para sua página.

Menções de Marca

Uma menção sobre a sua marca é uma recompensa valiosíssima, mas nem sempre quem a menciona se lembra de colocar o link para seu site. Não se envergonhe, o mais difícil que é a menção você já conseguiu, entre em contato e peça para que quem o mencionou coloque o link.

Native ads (anúncios nativos)

Existe um tipo de anúncio que incorpora seu conteúdo em sites relacionados à sua mensagem. Esses anúncios sempre enviam o usuário para seu conteúdo. É um anúncio em formato de conteúdo. Sacou?

As empresas especializadas em Native Ads mais conhecidas são a Outbrain e o Taboola.

 

Mídias Sociais

Já deu para perceber que as empresas que estão fora das mídias sociais tendem a ser esquecidas mais facilmente.

Mais e mais buscamos informações sobre empresas e produtos nas mídias sociais e estar fora delas é correr o risco de não cativar o seu público.

Além de tudo esta é a maneira mais simples de estar perto do seu público.

Seja presente, use a regra 80/20: 80% conteúdo e 20% produto. Interaja e não deixe alguém sem resposta.

Aqui no JOI nós somos ainda mais sinistros com essa regra: 99% de conteúdo e 1% de produtos pagos.

Conecte-se a influenciadores digitais

Claro assim!

Influenciadores digitais são aquelas pessoas que tem milhares de seguidores e que podem se interessar pelos seus produtos ou pelo seu conteúdo.

Alguns tipos de influenciadores:

  • Youtubers;
  • Blogueiros;
  • Subpersonalidades;
  • Jornalistas.

 

Use fóruns de discussões

Acredite ou não: MUITAS pessoas ainda procuram os fóruns para resolver problemas, tirar dúvidas ou participar de discussões.

É uma maneira de você entrar em contato com seu público (deixando comentários de qualidade).

Essa dica também vale para os blogs. Mas, por favor, não vá deixando links em comentários, a não ser que você tenha um conteúdo incrível que esteja relacionado com o tema em que você está comentando.

 

Combine as técnicas

Combine as técnicas OnPage e OffPage e ponha esse conhecimento em uso que logo você vai perceber os resultados. Lembre-se apenas que estratégias SEO normalmente não tem resultados a curtíssimo prazo. Mas é garantido a médio prazo!

Às vezes um pouco assustador, mas com certeza cheio de beleza.

Como um barquinho próximo ao iceberg.

 

{Texto em co-autoria com Carol Alvarenga.}

Deixe um comentário